Palácio Museu Olímpio Campos -
    
   
GOVERNADORESINSTITUCIONAL O PALÁCIO NOTÍCIAS GALERIAS ARTIGOS e TEXTOS PROGRAMAÇÃO CONTATOS

 

Sebastião Celso de Carvalho

Mandato: 01.04.1964 a 30.01.1967
Nasceu na Cidade de Simão Dias, em 24 de janeiro de 1923, filho de João Matos Carvalho e da Sra. Rosa Andrade Carvalho. Fez o ensino primário e o secundário na sua cidade natal, no Grupo Escolar Fausto Cardoso e teve como Professora a Sra. Antônia Borges da Silva; aos 10 anos mudou-se para Aracaju onde estudou no Colégio Tobias Barreto; em 1940 foi para a cidade de Salvador onde estudou no Colégio Marista, ingressando na Faculdade de Direito da Universidade Federal da Bahia em 1942, formando-se em 1946.
Quando retornou a Simão Dias começou a desenvolver suas atividades como advogado e nesse mesmo período filiou-se ao PSD. Em 1947, após o Estado Novo foi eleito Prefeito de sua cidade natal. Após seu mandato atuou na pretoria judiciária em várias cidades do Estado; depois da extinção das pretorias voltou a advogar. Em 1954 foi eleito deputado estadual sendo reeleito em 1958.
Em 1962, passou a fazer parte, indicado pelo Partido Social Progressista (PSP) da chapa composta pelo deputado Federal Seixas Dória na função de vice, para as eleições estaduais, sendo a chapa vencedora. Em1964 aconteceria no país o Golpe Militar e o Governador Seixas Dória foi deposto e preso, sendo Celso nomeado como Governador assumindo o posto em 01 de abril de 1964 e governando até 31 de janeiro de 1967.
No seu governo Celso de Carvalho realizou várias ações importantes para Sergipe como:
- Criou a Companhia Agrícola de Sergipe (COMASE);
- Implantou a Companhia de Habitação Popular de Sergipe (COHAB);
- Criou o Instituto de Previdência do Estado o (IPES);
- implantou a empresa de Telecomunicações de Sergipe;
- No campo do ensino superior criou a Faculdade de Odontologia e a Escola de Química de Sergipe;
- Assinou ainda com a Petrobrás um convênio para a exploração do subsolo do Estado.
Com a extinção dos partidos pelo Ato Institucional nº 02 e a instauração do bipartidarismo se filiou a Aliança Renovadora Nacional (ARENA), partido que dava sustentação ao Regime Militar, instalado no País em 1964. Ficou no Governo até 31 de janeiro de 1967.
Depois desse período passou um tempo fora da política, mas, retorna em 1974, ocupando vários cargos políticos. Com o fim do bipartidarismo em 1979 ingressou no PP (Partido Popular), em 1981 deixou o partido e filiou-se em 1982 ao Partido Democrático Social (PDS), seguindo os passos da evolução política do País, Celso esteve sempre presente nos grandes movimentos políticos tanto de Sergipe como do Brasil. Deixou a vida pública em 1987 no final de sua legislatura, indo viver em sua cidade natal.
Sebastião Celso de Carvalho faleceu no dia 14 de agosto de 2009, deixando um grande legado político para Sergipe.

Texto elaborado através de pesquisas feitas pela Coordenação de Pesquisa e Educação do PMOC,
Fontes: Livros de História e Política de Sergipe e
site https://infonet.com.br/noticias/cidade/deda-recebe-visita-de-sebastiao-celso-de-carvalho/
https://www.se.gov.br/noticias/governo/deda-lembra-trajetoria-do-ex-governador-celso-de-carvalho
https://pt.wikipedia.org/wiki/Sebasti%C3%A3o_Celso_de_Carvalho
gov. SE 1964-1967; dep. fed. SE 1975-1987.
https://jlpolitica.com.br/coluna-aparte/fim-de-lula-faz-um-enorme-estrago-no-casco-do-pt-de-sergipe/notas/historia-de-celso-de-carvalho-merece-a-nossa-homenagem

 

 

Mapa do Site
Institucional O Palácio
Notícias Galerias
Artigos Programação
Contatos Tour 360°
Jogos Planta 3D
Biblioteca  
Administração

DIRETOR:Alberto Araujo Silva
TEL: (79) 3198-1462
Coordenação de Acervo Museológico 
Setor que abrange a curadoria e a monitoria, sendo responsável pelas informações e pelo acervo museológico do Palácio-Museu, e orientação dos visitantes e também, pela expografia dos seus ambientes.

COORDENADORA: Izaura Ramos
TEL: (79) 3198-1454
Coordenação de Pesquisa e Educação . Setor que abrange os serviços de arquivologia, pesquisa, comunicação e de ações educativas.

Palácio-Museu

A definição de casa-museu ou palácio-museu prevê a proteção da propriedade natural ou cultural, móvel ou imóvel, em seu local original, ou seja, preservada no local em que tal propriedade foi criada ou descoberta. Para que isso aconteça é necessário promover a restauração do patrimônio e utilizá-lo com fins didático-pedagógicos e culturais. Além disso, o Palácio-Museu Olímpio Campos promove eventos abertos ao público, a exemplo de exposições fotográficas, mostras de artistas, lançamentos de livros, entre outros. O novo projeto disponibiliza também serviços de guia para visitação, curadoria, pesquisa, documentação histórica, cafeteria e livraria etc.
Todos direitos reservados ©
Secretaria de Estado da Casa Civil