Palácio Museu Olímpio Campos -
    
   
GOVERNADORESINSTITUCIONAL O PALÁCIO NOTÍCIAS GALERIAS ARTIGOS e TEXTOS PROGRAMAÇÃO CONTATOS

 

Corpo de Seixas Dórea é velado no Palácio-Museu Olímpio Campos

O corpo do ex-governador Seixas Dórea está sendo velado no Palácio-Museu Olímpio Campos. João de Seixas Dórea faleceu no final da tarde de ontem, 31, vítima de insuficiência respiratória no Hospital São Lucas, onde estava internado havia 20 dias. Às 14h30 será celebrada missa de corpo presente. O sepultamento será às 16h no Cemitério Colina da Saudade. O governador de Sergipe, Marcelo Déda, decretou luto oficial de sete dias.

"À família Seixas Dória, os meus sentimentos. Que a grandeza da sua história e a beleza do seu exemplo sirvam de conforto para sua ausência. Seixas Dória foi um grande brasileiro. Nacionalista, democrata, foi governador de Sergipe, cassado e preso pela Ditadura em 1964. No PMDB, participou das lutas pela redemocratização, além de deputado federal, diretor da Petromisa e secretário de Estado. Ele foi um símbolo da luta democrática, uma referência na defesa do Brasil, um apaixonado pelo seu querido estado de Sergipe. O corpo de Seixas Dória será velado no Palácio Olímpio Campos, o mesmo de onde a Ditadura o levou preso na madrugada de 1º de abril de 1964", escreveu Déda no micro blog.

Política com "P" maiúsculo - O secretário-chefe da Casa Civil, Jorge Alberto disse que não lamentaria a morte do democrata Seixas Dórea, mas saudaria a passagem dele pela vida pelo grande legado que deixou em sua trajetória na terra. "Seixas Dórea deixou uma enorme contribuição para a redemocratização do país. Ele era um homem que tinha a política como instrumento de transformação da sociedade. Um homem que fazia política com ?P' maiúsculo", disse.

Jorge Alberto lembrou da relação que o ex-governador mantinha com a sua família. Seixas Dórea foi amigo pessoal do pai do secretário, o médico Júlio Flávio, e uma espécie de "patrono" do então médico recém-formado Jorge Alberto. Foi Seixas Dórea que abriu as portas do extinto Instituto Nacional de Assistência Médica da Previdência Social (Inamps)para o médico em início de carreira. "Tinha cinco anos de formado e entrar no Inamps, o principal órgão de assistência médica do país, era o sonho de todo profissional da Medicina. Seixas Dórea era amigo pessoal do ministro Jarbas Passarinho e disse que, como iria a Brasília,levaria pessoalmente a minha documentação para me associar. Foi o primeiro convênio que obtive, de forma que sou muito grato a ele", relembrou.

Homenagem - O ex-governador e Jorge Alberto moraram por um bom tempo no mesmo prédio. Essa convivência, fortalecida pelos laços de amizade que o pai do secretário e Seixas Dórea mantinham, serviu para estreitar a relação entre os dois. "Conversávamos bastante e lembro-me que dessas conversas pude extrair muitos exemplos que tanto contribuíram para a minha vida política", relembrou ao destacar a trajetória política de Seixas Dórea marcada pela ética e senso de justiça. "Quando se falava nos índios Xocó, nos quilombolas, e em tantas outras causas sociais, lá estava Seixas Dórea, levantando a bandeira da justiça social", disse.

Jorge Alberto acrescentou que abrir as portas do Palácio-Museu Olímpio Campos para o velório do baluarte da democratização do país, bem como da candidatura do governador Marcelo Déda, em 2006, é uma forma de homenageá-lo. "Seixas Dórea governou Sergipe num período difícil de nossa história nesse prédio que hoje abriga o Palácio-Museu. Foi de lá que ele foi retirado a força pelos militares, levado à prisão e posteriormente teve seus direitos políticos cassados. Com a restauração, o Palácio-Museu criou uma sala especialmente a sua memória e hoje, abre espaço para velar o corpo daquele que deixa exemplos para a história do país", finalizou.





Postado: 12/04/2016 - 18:05:04

 

 

Mapa do Site
Institucional O Palácio
Notícias Galerias
Artigos Programação
Contatos Tour 360°
Jogos Planta 3D
Biblioteca  
Administração

DIRETOR:Alberto Araujo Silva
TEL: (79) 3198-1462
Coordenação de Acervo Museológico 
Setor que abrange a curadoria e a monitoria, sendo responsável pelas informações e pelo acervo museológico do Palácio-Museu, e orientação dos visitantes e também, pela expografia dos seus ambientes.

COORDENADORA: Izaura Ramos
TEL: (79) 3198-1454
Coordenação de Pesquisa e Educação . Setor que abrange os serviços de arquivologia, pesquisa, comunicação e de ações educativas.

Palácio-Museu

A definição de casa-museu ou palácio-museu prevê a proteção da propriedade natural ou cultural, móvel ou imóvel, em seu local original, ou seja, preservada no local em que tal propriedade foi criada ou descoberta. Para que isso aconteça é necessário promover a restauração do patrimônio e utilizá-lo com fins didático-pedagógicos e culturais. Além disso, o Palácio-Museu Olímpio Campos promove eventos abertos ao público, a exemplo de exposições fotográficas, mostras de artistas, lançamentos de livros, entre outros. O novo projeto disponibiliza também serviços de guia para visitação, curadoria, pesquisa, documentação histórica, cafeteria e livraria etc.
Todos direitos reservados ©
Secretaria de Estado da Casa Civil