Palácio Museu Olímpio Campos -
    
   
GOVERNADORESINSTITUCIONAL O PALÁCIO NOTÍCIAS GALERIAS ARTIGOS e TEXTOS PROGRAMAÇÃO CONTATOS

 

Exposição em homenagem ao centenário de Ofenísia Freire segue até 02 de fevereiro, no Palácio Museu.

Desde o dia 08 de janeiro, a exposição intitulada "Ofenísia Freire, Uma Educadora Sergipana" faz parte do circuito de visitação do Palácio Museu Olímpio Campos (PMOC). A mostra celebra o centenário de nascimento desta mulher que esteve à frente do seu tempo e ocupou posições de destaque na política e na educação. Ofenísia Freire, em virtude da sua personalidade marcante, foi vista por muitos como expoente intelectual e político. A exposição acontece no salão Multieventos do PMOC até o dia 02 de fevereiro e sua entrada é gratuita.


Toda a trajetória desta educadora sergipana foi organizada pela curadora Sayonara Viana, em parceria com Governo do Estado, Secretaria de Estado da Cultura (SECULT), Secretaria de Estado da Educação (SEED), entre outros parceiros, como a Academia Sergipana de Letras, Biblioteca Epifânio Dória, Memorial da Advocacia Sergipana e toda uma equipe dividida em pesquisa, fotografia, projeto expográfico, projeto gráfico, textos e acervos. A exposição está organizada em três núcleos temáticos e conta com 30 peças, entre medalhas, placas e condecorações, além de fotos, esculturas e obras de arte.


A diretoria do PMOC, juntamente com a Coordenadoria de Educação e Pesquisa, convidou algumas escolas da rede pública estadual para visitar a exposição. O convite foi feito para algumas unidades de ensino, incluindo a escola que leva o nome da homenageada. E na tarde desta quinta-feira, 30, a instituição que teve a oportunidade de prestigiar a mostra foi a Escola Estadual José de Alencar Cardoso. "Ofenísia Freire tem uma biografia repleta de êxitos, como professora, como militante política, como intelectual. Por isso o Palácio Museu Olímpio Campos entende a importância de apresentar a história desta grande mulher para os estudantes, sejam eles da rede pública ou privada. Fizemos o convite para algumas unidades escolares, mas, a exposição é aberta ao público em geral. Sintam-se convidados!", ressaltou a coordenadora de Educação e Pesquisa do PMOC, Eliana Borges.


O professor de história da Escola José de Alencar, Renato Ferreira, agradeceu a coordenação do Palácio Museu Olímpio Campos e teceu elogios pela inciativa de convidar as escolas para prestigiar essa exposição. Segundo o professor, esta é uma oportunidade ímpar e que proporciona aos estudantes um contato maior com as personalidades que marcaram a política e história de Sergipe e que, muitas vezes, são desconhecidas.


Quem concorda com o posicionamento do professor Ferreira é a professora de Letras, Maria Izabel Pina. "A riqueza que esta exposição representa não há como descrever. Nossos alunos conheceram aqui a história de uma mulher que teve uma vida voltada para a melhoria na qualidade e educação do povo sergipano. É impossível não admirar Ofenísia Freire, conhecendo um pouco da sua história e compromisso com sua profissão", pontuou a professora.

Homenagem e trajetória de vida


"Eu me liguei ao magistério como a hera se enrosca ao tronco robusto de uma árvore". Esta frase representa bem a escolha de Ofenísia Freire, vocacionada ao magistério, através de disciplinas como Língua e Literatura Portuguesa, Teoria Literária, Língua e Literatura Brasileira. Foram Décadas de ensino em colégios públicos e particulares, destacando-se o atual Colégio Atheneu Sergipense. Autora do livro ?A Presença Feminina em Os Lusíadas', a estanciana alternou as atividades do magistério com a agitação política e foi integrante do Conselho Estadual de Cultura (CEC) e da Academia Sergipana de Letras (ASL).


Para Ofenísia Freire ensinar é um exercício constante de cidadania, onde o professor - curador do conhecimento universal - faz a síntese da cultura na sala de aula, ao receber e orientar seus alunos no processo ensino-aprendizagem. Sua trajetória já foi pesquisada por grandes nomes sergipanos como Luiz Antônio Barreto e lembrada por grandes nomes da cultura, ex-alunos, amigos, companheiros de profissão e da política local.


A professora teve uma vida política bem participativa no Estado, era filiada ao Partido Comunista Brasileiro, engajada no processo de redemocratização do país. Emprestou, na eleição de 1947, seu nome à chapa de deputado estadual do médico Armando Domingues - da qual saiu eleito. Mas, dedicou-se e destacou-se no magistério, até a aposentadoria.




Fotos: Egicyane Lisboa/SECC





Postado: 13/04/2016 - 16:40:01

 

 

Mapa do Site
Institucional O Palácio
Notícias Galerias
Artigos Programação
Contatos Tour 360°
Jogos Planta 3D
Biblioteca  
Administração

DIRETOR:Alberto Araujo Silva
TEL: (79) 3198-1462
Coordenação de Acervo Museológico 
Setor que abrange a curadoria e a monitoria, sendo responsável pelas informações e pelo acervo museológico do Palácio-Museu, e orientação dos visitantes e também, pela expografia dos seus ambientes.

COORDENADORA: Izaura Ramos
TEL: (79) 3198-1454
Coordenação de Pesquisa e Educação . Setor que abrange os serviços de arquivologia, pesquisa, comunicação e de ações educativas.

Palácio-Museu

A definição de casa-museu ou palácio-museu prevê a proteção da propriedade natural ou cultural, móvel ou imóvel, em seu local original, ou seja, preservada no local em que tal propriedade foi criada ou descoberta. Para que isso aconteça é necessário promover a restauração do patrimônio e utilizá-lo com fins didático-pedagógicos e culturais. Além disso, o Palácio-Museu Olímpio Campos promove eventos abertos ao público, a exemplo de exposições fotográficas, mostras de artistas, lançamentos de livros, entre outros. O novo projeto disponibiliza também serviços de guia para visitação, curadoria, pesquisa, documentação histórica, cafeteria e livraria etc.
Todos direitos reservados ©
Secretaria de Estado da Casa Civil