Palácio Museu Olímpio Campos -
    
   
GOVERNADORESINSTITUCIONAL O PALÁCIO NOTÍCIAS GALERIAS ARTIGOS e TEXTOS PROGRAMAÇÃO CONTATOS

 

Jackson Barreto assina transferência do acervo de Seixas Dória ao PMOC

Após um hiato de 50 anos, o Palácio Museu Olímpio Campos (PMOC ) prepara seus cômodos para receber a história de Seixas Dória. Deposto do cargo e retirado da sede do Governo pelo exército em 1964, Dórea passa a compor o acervo permanente do PMOC através de correspondências, fotografias, comendas, diplomas, banner, manuscritos, impressos e 983 volumes.

O contrato de Comodato foi assinado na manhã desta quinta-feira, 27, pelo governador Jackson Barreto e os filhos de Seixas Dórea. O documento acerta a cessão temporária por 20 anos, ao Estado de Sergipe, pelos herdeiros do governador Seixas Dória, do conjunto de documentos privados produzidos e/ou acumulados pelo ex-governador, que corresponde a seu arquivo pessoal. Deverá o estado de Sergipe manter os arquivos custodiados no Palácio-Museu Olímpio Campos (PMOC).

Jackson Barreto destacou o papel de Seixas Dórea na história política de Sergipe. "Hoje é um dia muito importante para mim que acompanhei seus comícios encantado pela sua oratória. É para esta casa, histórica para vida de Seixas Dórea e para os sergipanos que volta o seu acervo. Esse acervo é parte significativa da história de nosso estado, dos sergipanos. Que esse acervo sirva de estímulo para as novas gerações, que possamos aprender com a vida de um homem nacionalista e democrata. A história de Seixas Dórea nos inspira a continuar na vida pública", afirmou.

O secretário adjunto de Cultura, Wellington Mangueira comentou a importância dessa cessão para a identidade histórica do Estado. "Este acervo é de suma importância para as novas gerações. Seixas Dórea foi um nacionalista, um democrata que lutou pela reforma agrária, por um desenvolvimento permanente do País. Este acervo será fonte de pesquisa sobre um homem que lutou por um mundo melhor".

"Este é um momento extremamente feliz para nossa família. Esse acervo é fruto de um trabalho de minha mãe, que arquivou tudo que ele fez e recebeu de prêmios, comendas. O desejo dela era justamente esse: deixar que as pessoas conhecessem a história de meu pai", disse Antônio Carlos Mesquita, filho de Seixas Dórea.

Acervo

Inclui-se no acervo, a biblioteca pessoal do ex-governador Seixas Dória, composta de 983 volumes, abrangendo assuntos de interesse geral, com ênfase na história e na política de Sergipe. A transferência possibilitará o tratamento arquivístico, guarda, conservação e custódia adequada, bem como a exibição ao público dos documentos e à promoção do estudo histórico destes. O Governo do Estado poderá, inclusive, reproduzir os documentos mediante supervisão técnica de profissional com formação em arquivologia, de modo a garantir sua integridade física.

O acervo vai se juntar ao Centro de Documentação de Estudos e Pesquisas do PMOC, que conta com a biblioteca Vice-Governador Manoel Cabral Machado, abriga os acervos bibliográficos do Ex-Governador Arnaldo Garcez, doados ao Estado por seus herdeiros, e a coleção do Palácio.

Seixas Dórea

Removido à força do governo um dia após tomar posse como governador, Seixas Dória foi preso e levado à ilha de Fernando de Noronha onde sua detenção durou quatro meses. Em seu lugar foi empossado o vice-governador Celso Carvalho. Por força do Ato Institucional número 2, Dórea teve os direitos políticos suspensos por dez anos.

Encerrada a sua reclusão política, ele ingressou no MDB e fez sua primeira aparição pública na convenção estadual do partido em maio de 1978. Coordenou a estratégia do diretório estadual nas eleições daquele ano e atuou em defesa da anistia e da redemocratização. Beneficiado pela Lei da Anistia, filiou-se ao PMDB e foi eleito suplente de deputado federal em 1982. Derrotado ao disputar um mandato de senador em 1986, foi nomeado secretário de Transportes pelo governador Antônio Carlos Valadares em agosto de 1988, permanecendo no cargo por quatro meses. Assessor político da Presidência da República nos últimos meses do Governo Sarney, foi secretário de Transportes no segundo governo João Alves Filho e depois membro do conselho de administração da Companhia Vale do Rio Doce.

Membro da Academia Sergipana de Letras, escreveu as obras Sílvio Romero, jurista e filósofo e Eu, réu sem crime.

Fonte: ASN





Postado: 13/04/2016 - 16:45:43

 

 

Mapa do Site
Institucional O Palácio
Notícias Galerias
Artigos Programação
Contatos Tour 360°
Jogos Planta 3D
Biblioteca  
Administração

DIRETOR:Alberto Araujo Silva
TEL: (79) 3198-1462
Coordenação de Acervo Museológico 
Setor que abrange a curadoria e a monitoria, sendo responsável pelas informações e pelo acervo museológico do Palácio-Museu, e orientação dos visitantes e também, pela expografia dos seus ambientes.

COORDENADORA: Izaura Ramos
TEL: (79) 3198-1454
Coordenação de Pesquisa e Educação . Setor que abrange os serviços de arquivologia, pesquisa, comunicação e de ações educativas.

Palácio-Museu

A definição de casa-museu ou palácio-museu prevê a proteção da propriedade natural ou cultural, móvel ou imóvel, em seu local original, ou seja, preservada no local em que tal propriedade foi criada ou descoberta. Para que isso aconteça é necessário promover a restauração do patrimônio e utilizá-lo com fins didático-pedagógicos e culturais. Além disso, o Palácio-Museu Olímpio Campos promove eventos abertos ao público, a exemplo de exposições fotográficas, mostras de artistas, lançamentos de livros, entre outros. O novo projeto disponibiliza também serviços de guia para visitação, curadoria, pesquisa, documentação histórica, cafeteria e livraria etc.
Todos direitos reservados ©
Secretaria de Estado da Casa Civil