Palácio Museu Olímpio Campos -
    
   
GOVERNADORESINSTITUCIONAL O PALÁCIO NOTÍCIAS GALERIAS ARTIGOS e TEXTOS PROGRAMAÇÃO CONTATOS

 

Do alto da tribuna do PMOC, Déda saúda o povo sergipano

Após ser empossado na Assembleia Legislativa e fazer honrarias militares no final da manhã deste sábado, 1º, o governador eleito de Sergipe, Marcelo Déda, acompanhado do seu vice, Jackson Barreto, da primeira-dama, Eliane Aquino, e a deputada Angélica Guimarães, seguiu para o Palácio-Museu Olímpio Campos onde recebeu a faixa governamental e discursou para centenas de pessoas que se fizeram presentes na Praça Fausto Cardoso, em Aracaju.

Do alto da tribuna do Palácio, sede do poder republicano e berço por onde passaram tantos outros governantes históricos, Marcelo Déda saudou o povo sergipano.

"Povo de Sergipe, volto quatro anos depois a essa sacada histórica para receber, simbolicamente, essa faixa e assumir as funções de governador do Estado. Antes, estive na Assembleia Legislativa para ato de posse, pois a ida do chefe do executivo à casa das leis traduz a obediência à constituição. Lá, jurei cumprir e defender a constituição do meu estado e defender a autonomia do meu querido Sergipe. Aqui, diante do povo sergipano, o governador assume a representação do poder Executivo, mas proclama em alto e bom som: meu soberano é o povo de Sergipe, a ele presto homenagem e submissão política. Nenhum poder é mais forte na terra do que o poder do povo, nenhuma democracia se institui se não for fundada na regra máxima da constituição que estabelece sem rodeios que todo o poder emana do povo e em seu nome terá de ser exercido", exclamou Marcelo Déda.

Após quatro anos do primeiro mandato, o governador fez questão de ressaltar que ainda é o mesmo homem e não perdeu seus princípios e convicções. "Ainda sou a mesma pessoa, com mais experiência. Não sendo aquele de quatro anos atrás apenas no físico e na experiência, sou o mesmo na minha consciência, nas minhas convicções. Sou o mesmo militante do Partido dos Trabalhadores, sou socialista, democrata, da esquerda, herdeiro de tradições e de erros, mas comprometido com uma esquerda nova que não refuta o seu passado, mas não desmarca seu compromisso com o futuro e não trai a sua contemporaneidade e seu diálogo com o presente", disse.

Marcelo Déda reafirmou o compromisso de, ao lado de Jackson, melhorar ainda mais a vida de todos. "Volto acompanhado de Jackson Barreto, líder popular, político, guerreiro, meu amigo e companheiro. Vamos trabalhar como amigos e irmãos, colaborando, juntando forças e ajudado Sergipe melhorar e dar ao seu povo mais felicidade", prometeu.

Sergipe mudou

Guiado pelos exemplos contundentes de que o estado mudou para melhor ao longo desses quatro anos, o governador citou a reforma do Palácio-Museu como testemunho da transformação. "O Estado não é o mesmo de quatro anos atrás. Lembrem-se o que era esse Palácio no dia 1º de janeiro de 2007, quando vim para essa sacada, sem móveis, abandonado a poeiras e picumãs, com o teto caindo, vazamento de água, patrimônio cultural e arquitetônico consumidos pelo cupim e pelo tempo. Hoje, esse palácio é um dos nossos orgulhos do nosso tempo", exemplificou ele.

Segundo Déda, erros foram cometidos, basta apenas ter humildade para reconhecê-los. "Mas é preciso testemunhar que o saldo das mudanças é imensamente superior aos possíveis erros e equívocos cometidos. Vamos trabalhar juntos pela saúde que é a prioridade número um, pela educação, segurança pública, assistência e inclusão social, vamos trabalhar juntos para que Sergipe colabore com a presidente Dilma Rousseff para que ela lidere o Brasil em mais um período de vitórias deixadas por esse grande brasileiro, esse inesquecível filho do povo, esse estadista que o mundo aplaude e reconhece, esse nordestino que resgatou a fibra da nossa região e do nosso povo, esse operário, o sindicalista, o estadista, o presidente imortal do povo Luiz Inácio Lula da Silva. E que hoje, no primeiro dia do ano, ao encostarmos a cabeça no travesseiro, vamos pedir que Deus ilumine os caminhos que levarão Lula de volta para casa e dizer que você, Lula, vai sair do palácio, mas não sairá do nosso coração", destacou.

O governador finalizou seu pronunciamento pedindo a Deus sabedoria para governar cada vez melhor. "Peço humilde e sabedoria para que eu e Jackson possamos transformar Sergipe num grande estado e o nosso povo numa gente feliz. Viva o Brasil, viva a Sergipe, que Deus proteja o povo sergipano, obrigado meu povo, obrigado Sergipe", disse Déda. Após o discurso, o governador viajou a Brasília para acompanhar a solenidade de posse da presidente eleita Dilma Rousseff.

Presenças

Participaram da solenidade além do governador Marcelo Déda e seu vice Jackson Barreto, a presidente da Assembleia Legislativa, Angélica Guimarães, o desembargador Cesário Siqueira, presidente em exercício do Tribunal de Justiça do Estado de Sergipe, o Procurador Geral do Estado, Orlando Rochadel, o presidente do Tribunal de Contas, Reinaldo Moura, o prefeito de Aracaju, Edvaldo Nogueira, o presidente da câmara de Vereadores, Emmanuel Nascimento, além de deputados estaduais e imprensa.





Postado: 12/04/2016 - 16:05:34

 

 

Mapa do Site
Institucional O Palácio
Notícias Galerias
Artigos Programação
Contatos Tour 360°
Jogos Planta 3D
Biblioteca  
Administração

DIRETOR:Alberto Araujo Silva
TEL: (79) 3198-1462
Coordenação de Acervo Museológico 
Setor que abrange a curadoria e a monitoria, sendo responsável pelas informações e pelo acervo museológico do Palácio-Museu, e orientação dos visitantes e também, pela expografia dos seus ambientes.

COORDENADORA: Izaura Ramos
TEL: (79) 3198-1454
Coordenação de Pesquisa e Educação . Setor que abrange os serviços de arquivologia, pesquisa, comunicação e de ações educativas.

Palácio-Museu

A definição de casa-museu ou palácio-museu prevê a proteção da propriedade natural ou cultural, móvel ou imóvel, em seu local original, ou seja, preservada no local em que tal propriedade foi criada ou descoberta. Para que isso aconteça é necessário promover a restauração do patrimônio e utilizá-lo com fins didático-pedagógicos e culturais. Além disso, o Palácio-Museu Olímpio Campos promove eventos abertos ao público, a exemplo de exposições fotográficas, mostras de artistas, lançamentos de livros, entre outros. O novo projeto disponibiliza também serviços de guia para visitação, curadoria, pesquisa, documentação histórica, cafeteria e livraria etc.
Todos direitos reservados ©
Secretaria de Estado da Casa Civil